17 de abril de 2011

Nas bancas: não perca!

Não dá mais para adiar: o Brasil precisa enfrentar e desmontar o oligopólio da mídia. Já está claro, para boa parte da sociedade, que o aperfeiçoamento e o funcionamento da democracia – mesmo nos marcos do capitalismo – pressupõem a democratização da comunicação social.

O modelo vigente de concessões da radiodifusão possibilita a concentração de emissoras de rádio e TV nas mãos de alguns poucos grupos empresariais, os quais controlam a informação, restringem a liberdade de expressão, infl uenciam decisivamente na vida cultural, política e social do povo brasileiro. Mais do que isso: o atual sistema burla a vontade popular expressa na Constituição de 1988 e representa uma ameaça efetiva para a diversidade cultural e política.

A sociedade brasileira é testemunha do partidarismo e da manipulação dos meios nas eleições. Não faz o menor sentido que o serviço público de radiodifusão, operado mediante concessão, seja utilizado por interesses particulares para favorecer partidos e candidatos do agrado dos grupos econômicos, religiosos e políticos. Está na hora do Brasil aperfeiçoar os critérios de controle social da mídia.

A sociedade é testemunha, também, do uso dos meios para criminalizar os movimentos sociais, as populações negras, faveladas e pobres em geral. Há muito tempo que a grande mídia tem sido conivente com as violências do Estado contra os segmentos populares, ao mesmo tempo em que sonega e omite informações e fatos relevantes para o desenvolvimento nacional.

A presente edição especial da Caros Amigos fornece aos leitores uma coletânea de reportagens e artigos sobre a atual situação da comunicação, aponta os grandes nós e desafi os, compara com as saídas construídas em outros países e mostra as várias alternativas e frentes de luta para melhorar, aperfeiçoar e – principalmente – democratizar o sistema de comunicação no Brasil.

Nenhum comentário: