25 de julho de 2010

Educação: negócio lucrativo ou compromisso ético com a sociedade?

Sobre os resultados do ENEM 2009


Para quem preconceituosamente vê o Piauí como um estado assolado por más notícias, os resultados do Enem 2009 são alvissareiros. Ainda que possamos discutir a pertinência dos métodos de avaliação empregados pelo MEC, o fato é que o Instituto Dom Barreto – IDB, localizado em Teresina, destaca-se novamente na avaliação e alcança o posto de segunda melhor escola do país.

Um dado, entre outros, chama a atenção nessa notícia e merece alguma reflexão. O Colégio Vértice, de São Paulo, que obteve o 1º lugar e é considerada a melhor escola do país – segundo o Enem – cobra uma mensalidade no valor de R$ 2756,00 aos alunos que cursam o 3º ano do ensino médio. Já o Instituto Dom Barreto cobra uma mensalidade de R$ 647,00 aos alunos da mesma série. Sobre o terceiro colocado, o famoso Colégio de São Bento, não tenho informações precisas, mas sempre foi considerada uma das escolas particulares mais caras do Rio de Janeiro, portanto não deve cobrar um valor muito diferente do Vértice paulistano.

Não bastassem os valores completamente discrepantes cobrados pelo Vértice (e São Bento) e pelo IDB – a escola de São Paulo cobra mais do que o quádruplo da teresinense –, vale registrar algo bastante significativo. Com as mensalidades cobradas no IDB, a escola paga os salários dos seus professores (que têm uma carga horária diária bastante extensa, pois no 3º ano os alunos freqüentam aulas das 13:15 às 20:55 h.) e funcionários, banca os custos operacionais e, além disso, mantém um importante projeto social na capital do estado: a Casa Dom Barreto (um orfanato que hospeda crianças e adolescentes carentes) e a Escola Popular Madre Maria Villac (que atende parte dos meninos e meninas do mesmo orfanato e onde atuam os mesmos professores do IDB).

Essa talvez seja a principal diferença entre fazer da educação um negócio lucrativo e um compromisso ético com a sociedade.

Resta saber o que fazem o Vértice e o São Bento com os seus lucros exorbitantes. Que projeto social estas escolas mantêm? Qual seria o seu compromisso com a ética, a cidadania e o indispensável combate às desigualdades sociais em nosso país?

E não me venham argumentar que o custo de vida e os custos operacionais em São Paulo e no Rio são mais elevados. Que sejam, mas isso justifica cobrar R$ 2756,00 de mensalidade???

Denílson Botelho é Professor Adjunto de História da UFPI.

Extraído do jornal O DIA (Teresina - PI), domingo, em 25 de julho de 2010.

Nenhum comentário: