18 de março de 2010

Sergio Bianchi e o cinema brasileiro

Sérgio Bianchi fala sobre “Os Inquilinos”

Não espere tropas, gritos ou tiros. A arma que o controverso diretor Sérgio Bianchi (Cronicamente Inviável; Quanto Vale ou É por Quilo?) prefere em seus filmes é outra. Em mais de 30 anos de profissão, ele tem utilizado a contradição, muita crítica e a ironia para dar forma às produções marcadas por conflitos sociais. Não à toa se transformou em figura polêmica e provocadora do cinema nacional, assim como seus próprios filmes. “Qualquer arte boa é provocadora. É a que sei fazer, a que me dá prazer e a que me parece verdadeira”, diz.

É nesta trilha que estreou Os Inquilinos – Os incomodados que se mudem. O longa foi filmado na Brasilândia, periferia paulistana, e conta a história de uma família de classe média baixa que tem a rotina alterada com a chegada de novos vizinhos criminosos. Um retrato delicado e sufocante da violência, que faz lembrar Jean-Paul Sartre em sua máxima “o inferno são os outros”.

O roteiro, assinado pelo próprio Bianchi e por Beatriz Bracher, é baseado no conto homônimo de Vagner Geovani Ferrer, aluno de um curso do projeto Educação para Jovens e Adultos (EJA). O filme recebeu os prêmios de Melhor Roteiro e Melhor Atriz Coadjuvante no Festival do Rio em 2009. Já no V FestCine Goiânia 2009 recebeu os prêmios de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Roteiro. No elenco nomes importantes como Cássia Kiss (premiada pelo papel no Festival do Rio 2009), Caio Blat, Humberto Magnani, Ailton Graça e Ana Lucia Torre. O casal protagonista é interpretado por Marat Descartes e Ana Carbatti.

Em paralelo à estreia nos cinemas, a Versátil Home Video lançou, na Livraria Cultura, o box Filmes de Sérgio Bianchi, caixa com 5 DVD’s que traz todos os longas-metragens do cineasta, além do premiado média-metragem Mato Eles? (1982), considerado um marco do cinedocumentário brasileiro, e dos curtas-metragens Omnibus (1972) e A Segunda Besta (1977), ambos inspirados em contos do livro Bestiário, do escritor argentino Julio Cortázar; e Divina Previdência (1983).

Em entrevista à Revista da Cultura deste mês, Sérgio Bianchi falou do “cinema provocação” e de seus filmes preferidos. O diretor também recebeu, em sua casa, a equipe do Blog da Cultura para um papo sobre “Os Inquilinos”, além do momento atual do cinema brasileiro. Ele contesta a crítica que o considerou mais calmo no novo filme, e, “culpa” o tricô pela pseudo tranquilidade. Na entrevista, não faltaram críticas, bom-humor, e, ironias mantendo sua despojada característica de provocador. Confira.

(Extraído da Revista da Cultura, da Livraria Cultura, Edição 32, Março de 2010)



E quem quiser conferir a caixa com 5 DVDs contendo a filmografia de Sérgio Bianchi, acesse o sítio da Vérsátil Home Video: http://www.dvdversatil.com.br/vejamais.aspx?id=614

Nenhum comentário: