2 de março de 2010

Samba, jornal e sensacionalismo

Carioca que sou, cresci acostumado com a imprensa sensacionalista exposta na fila do gargarejo das bancas de jornais do Rio de Janeiro. Acho que foi numa capa d'O Povo que vi, chocado, ainda moleque, indo para a escola, a foto de um cadáver degolado exposto na primeira página. Seus sucedâneos estão por aí: Meia Hora, Extra, O Dia, Expresso...

Aqui em Teresina circulam pelo menos três grandes jornais diários: Meio Norte, O Dia e Diário do Povo. E é interessante como, mesmo numa capital que está longe de ser violenta como Rio e São Paulo - embora a violência urbana também mostre a sua cara por aqui, é claro - noto os jornais em busca da notoriedade através das manchetes policiais.

Então degustemos um bom e velho samba sobre o tema:

E quem quiser ir mais fundo, pode ler:

Um comentário:

Luciano Freitas disse...

Hum! Esse livro parece bem interessante para o pessoal de jornalismo! Deu vontade de presentear um amigo com o livro!

:)